igae.gov.ao
Cunene
15 Dec 2021 | 13:56 - Actualizado em 20 Dec 2021

Detido o agente da polícia da guarda fronteira por corrupção e extorsão de valores

Extorsão de valores

Detido o Agente da Polícia da Guarda Fronteira por corrupção e extorsão de valores.
  
Na sequência de uma denúncia prestada hoje às 9h00 (dia 03 de Dezembro), a Delegação Provincial da IGAE- Cunene por um cidadão residente na santa Clara, que preferiu o anonimato, alegou que havia agente Bartolomeu Francisco de 32 anos de idade, da Polícia de  Guarda Fronteira, residente no Bairro Hidipo, município de Namacunde, a extorquir valores a cidadãos que pretendessem atravessar a fronteira para entrar na República da Namíbia, junto do posto do Marco 19 Santa Clara, Município de Namacunde e dois cidadãos de nome Domingos Caculete Saprino de 29 anos de idade e Francisco Antonio de 37 anos de idade, que facilitavam o esquema de recolhas de valores a população.
Nesta conformidade a Delegação Provincial da IGAE fez deslocar uma equipa conjunta composta por inspectores, que se fez acompanhar por técnicos do SIC e do  Gabinete de Inspecção do Comando Provincial da PN, para a veracidade dos factos. Instado o chefe do respectivo posto, disse que está prática não é legal e não tem sido orientação passada aos agentes da Guarda Fronteira.  Durante a averiguação depararam-se com o agente a receber de 46.690 Akz e 3.120.50 Rand (equivalente a AKZ: 124.000,00), que totaliza: AKz 170.690,00, em flagrante a cidadãos que faziam o trajecto Angola-Namibia por caminhos fiotes. 
Diante deste facto o mesmo foi detido em flagrante delito, apreendido o valor em causa e em razão da competência material, foi entregue aos técnicos do SIC e do gabinete de inspecção do Comando Provincial da PN, para prossecução de actos subsequentes.
Pelo que sob detenção foi encaminhado ao SIC para ser presente ao Magistrado do Ministério Público e providenciar-se a sua apresentação ao Tribunal de Comarca do Cunene para julgamento Sumário. 
Entretanto, o referido agente  ser-lhe-á instaurado o competente processo disciplinar para a tomada de medidas correspondentes pelo acto por si praticado em conformidade com as normas do Código Penal Angolano e outros Diplomas Conexos.

تشاندينهو